domingo, 12 de fevereiro de 2012

Tema: Prece: energia e poder.


Aula 1:
Tema: PRECE
Fonte de Consulta: Comunidade Espírita Atitude de Amor, DIJ. Arquivo recebido através do grupo yahoo de evangelização espírita infantil.
a)Alegria Cristã, b)momento do evangelho com fantoche, c)prece, d)conversar sobre a tarefinha da semana.
a) Objetivos: A criança deverá reconhecer que a prece é de valor inestimável na vida da criatura, por trazer-lhe alento nas horas de tristeza, alívio nos momentos de dor, esclarecimento nas situações de dúvida, ajuda na necessidade.
b) recursos didáticos: diálogo, fantoche, barra de chocolate, história.
I- Início: música para harmonização do ambiente
II- Prece inicial
III- Apresentação do tema e desenvolvimento.
Primeiro momento: Perguntar:
a) Quem faz prece aqui? Aguardar resposta.
b) O que é a prece? Aguardar resposta.
c) Que fez prece hoje? E ontem? Aguardar a resposta.
Segundo momento: com o auxílio de um fantoche, chamar a atenção dos alunos sobre o assunto que será abordado na aula. Dizer que hoje estamos com uma ajudante nova e que ela irá nos auxiliar.
A ajudante (fantoche) falará rapidamente de maneira que os evangelizandos não compreendam.
Questionar se eles entenderam o que a colaboradora falou.
Repetir novamente só que desta vez devagar, fazendo com que todos compreendam.
questionar:
Por quê vocês não entenderam da primeira vez?
Quando que vocês entenderam melhor? Por quê?
(deixar as crianças falarem).
Assim também é a prece: Se agente orar de qualquer jeito, falando qualquer coisa, a nossa prece não chega até Deus.
Terceiro momento: é dado a cada criança um pequenino pedaço de chocolate e pede-se que ela engula inteiro (é um pedaço bem pequeno, assim que colocar na boca, sem nem sentir o gosto, rapidamente mesmo).
Depois, dá-se a cada criança um outro pedaço de chocolate do mesmo tamanho do anterior e pede-se que ela saboreie o chocolate, deixe-o derreter na boca, enfim, que coma bem devagar.
Quarto momento: explicar que, quando fizemos nossas preces sem pensar, com pressa, sem sentimentos, é como comer o chocolate sem sentir o gosto, não fica o gosto em nossa boca, é quase como se não tivéssemos comido.
Se orarmos com amor e sinceridade no coração, com calma, pensando no que estamos fazendo, é como comer o chocolate devagarinho, saboreando-o, com vontade, sentindo o gosto do chocolate que fica na boca.
Quinto momento: explicar, com muito amor, que prece é uma conversa com Deus; que podemos orar em qualquer lugar e em qualquer momento, na rua, em casa, no Centro Espírita, na escola; que a oração pode ter três objetivos: agradecer, louvar e pedir; que uma prece pode ser espontânea ou decorada (dar como exemplo de prece decorada o Pai Nosso); que devemos orar com palavras sinceras, saber o que dizemos e orar com o coração, com sentimentos verdadeiros; uma oração não precisa ser bonita ou comprida para ser atendida; que Deus sempre ouve nossas preces.
Sexto momento: Vamos ouvir uma história
PRECE
Bolinhas de Amor (http://www.cvdee.org.br/ev_planotexto.asp?id=572)
Meu amiguinho Juninho, mora do lado da minha casa e estudamos juntos. Ele é muito legal, sempre empresta seus brinquedos, nunca respondeu para seus pais nem para ninguém, ajuda seus amigos, é obediente. Bom... Eu também sou assim e sei que você também deve ser...
O Juninho sempre agradece ao Papai do céu por tudo o que ele tem, pela família, pelos amigos, pela saúde.
Bom... Eu também agradeço e sei que você também deve agradecer...
Mas o Juninho fazia a prece de maneira diferente. Todas as noites antes de deitar-se, Juninho pegava debaixo da sua cama uma canequinha com água e sabão e um canudinho... Ia até a janela e fazia MUITAS bolinhas de sabão. Depois fechava a janela apagava a luz e ia se deitar.
Da minha casa dava para ver as bolinhas subindo...subindo... Quando estavam muito altas eram estouradas pelas pontas das estrelas.
Um dia teve uma excursão na escola, fomos de ônibus para um acampamento. Foi muito legal!! Brincamos de bola, nadamos, andamos a cavalo, comemos muitas coisas gostosas...só paramos de brincar quando a professora disse que já era tarde e mandou todos irem para sua cabana
dormir.
Estava deitado quando Juninho veio desesperado me acordar. Queria que eu o ajudasse a encontrar um canudo e água com sabão.
Decidi conversar com Juninho e descobrir que estória era essa de água com sabão.
- Para que você quer água com sabão Juninho?!
- Para fazer a minha prece, agradecer o dia maravilhoso que tivemos hoje. Como vou falar com o Papai do céu se ele está lá em cima??!! Nem se eu gritar com toda a minha força ele irá me escutar.
Por isso eu faço os meus pedidos, converso com ele e agradeço através das bolinhas. O que eu falo fica dentro da bolinha e vai para o alto... Perto do Papai do céu e quando a bolinha estoura Ele consegue escutar!
- Mas eu já fiz a minha prece e não precisei de água com sabão.
- Não!!!?? Mas como falou com o Papai do céu então?!
- Com o pensamento, com o coração.
- E o pensamento, o coração vai até o céu como a bolinha de sabão?!
- Não!! Vai bem mais alto que ela, vai para onde desejarmos que ele vá. O Papai do céu escuta o nosso coração, o nosso pensamento, por isso quando for fazer a sua prece é só pensar com amor, com carinho, orar de coração que o Papai do céu ira escutar você. E sempre lhe ajudará.
- NOSSA! Eu não sabia disso!!
- Então venha, vamos fazer a prece nós dois juntos, Agradecendo o dia maravilhoso que tivemos. Fizemos a nossa prece e tivemos certeza que o
Papai do céu escutou-nos e ficou muito feliz.
E desse dia em diante nunca mais se viu, durante as noites, bolinhas de sabão saindo da janela do Juninho!
(Autora - Regina Amélia de Oliveira)
Sétimo momento: Atividade:
Escolher um redator para escrever a prece elaborada pela turma:
Fazer todos juntos uma prece da seguinte forma:
Cada um fala uma ou duas frases e o próximo continua até chegar ao fim.
Exemplos de preces: Agradecimento, pedido e louvor
(agradecimento): Obrigada papai do céu, pela minha casinha, pela mamãe, pela comidinha que nunca falta na minha mesa, pela roupinha quentinha e a caminha gostosa. Obrigada papai do céu, eu sou muito feliz por tudo que o Senhor me deu.
(pedido): papai do céu, a minha mãezinha está doentinha, eu queria pedir para o senhor curar ela.
Ajuda minha mãezinha papai do céu, ela sempre foi tão boa para mim, eu sei que o senhor sempre ouve nossas preces, por isso estou te pedindo, ajuda minha mãezinha a ficar boa.
(louvor): Oh papai do céu! Como és bom! Como é maravilhoso o mundo que nos deste para viver.
Como o senhor é sábio, tudo aqui está no lugar certo. Te louvo, papai do céu, por seres tão maravilhoso.
Aula 2:
Prece - valor e ação da prece III
Prece inicial
Primeiro momento: conversar sobre o conceito de prece com a turma, de acordo com a Doutrina Espirita.
 O que é prece?
 Quando fazemos uma prece?
 Por quem podemos fazemos prece?
Obs.: favor notar que essa aula foi planejada para que o evangelizador fique em torno de 10 minutos em cada atividade no máximo. Se o Evangelizador sentir a necessidade de passar mais tempo com uma ou outra atividade, por favor adapte de acordo com o seu sentimento e a necessidade da turma.
Segundo momento: fazer a atividade na qual se utiliza a técnica da "Caixinha Musical" - uma música espírita conhecida pelas crianças é tocada. Quando a música para, quem está com a caixinha tira uma pergunta dela e responde. Se acertar a criança ganha uma chance de desenhar algo pelo qual eles fariam prece, em um quadro que deverá estar previamente pendurado na parede. Esta técnica também é conhecida com o nome de "Batata Quente". Abaixo segue as sugestões de perguntas a serem feitas as crianças pelo evangelizador.
1. O que é prece?
2. Temos que ter um local especial para fazer prece?
3. Diga o nome de alguma pessoa que voce gostaria de fazer uma prece?
4. Quando fazemos uma prece?
5. Por quem podemos fazer prece?
6. A prece nos faz sentir melhor?
7. Pode-se fazer prece todos os dias?
8. Pode-se orar antes de dormir?
9. Pode-se orar antes de levantar da cama?
10. Pode-se orar antes das refeições?
11. Pode-se orar por uma pessoa que desencarnou?
12. Pode-se orar pelo nosso anjo da guarda?

Depois que as perguntas terminarem, pode-se fazer um quadro com os desenhos que a turma fez e fixar o mesmo na sala. Dessa forma, as crianças trabalham a cooperação e o conceito de trabalhar em grupo.
Terceiro momento: mostrar aos evangelizandos um “telefone” (este montado com dois copinhos e um fio grande ligando um ao outro). Perguntar quem conversa ao telefone, e dizer que vamos começar a falar ao telefone ali na nossa aula, através do nosso telefone!
Escolher um evangelizando e quando ele “atender”, perguntar algumas coisas: o nome, idade, nome dos pais, quantos anos tem, se tem irmãos, etc... Dessa forma, o evangelizador engajará as crianças na brincadeira.
Quando a brincadeira acabar, falar aos evangelizandos que a oração é como este nosso telefone: sempre que discamos para alguém, teve este alguém do outro lado da linha que nos atendeu, e com a oração é a mesma coisa: sempre que oramos com o coração, tem alguém no plano espiritual para nos ouvir, nos ajudar a enfrentar nossas dificuldades, nos dar forças; alguém que podemos contar.
Para finalizar a comparação, dizer que um lado do telefone somos nós, encarnados, do outro lado quem atende é o nosso anjo da guarda, Jesus, Deus, enfim, àquele que estamos pensando durante a prece, e o fio é a prece em si! Também acrescentar que a prece pode ser feita em qualquer lugar, e em qualquer hora, é só termos pensamentos bons, e orarmos com amor!
Quarto momento: mcada criança deverá receber um papel A4 para que elas possam desenhar algo que gostariam de agradecer a Deus por ter aqui na Terra (pais, casa, teto, comida, animais de estimação, aula de Evangelização, etc). Pedir para as crianças mostrarem os seus desenhos umas para as outras e depois mostrar para os pais, engajando-os no assunto.
Subsídios para o evangelizador: O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. XXVII", especialmente o título Ação da prece – Transmissão do pensamento, itens 9 e 15 e O Livro dos Espíritos – Livro 3, cap. 2 - Da prece.
Prece de encerramento
Sugestão: jardim e/ou 1o. ciclo, de acordo com a maturidade/condições da turma.
Aula 3:
1. TEMA: A Prece — finalidades.
2. OBJETIVO: As crianças deverão ser motivadas a cultivar o hábito da oração diária: louvando, agradecendo e pedindo a Deus proteção espiritual, que nos é concedida por intermédio de nossos protetores
espirituais.
3. BIBLIOGRAFIA:
Mt, 7: 7-11 - “Pedi e dar-se-vos-á; batei e abrir-se-vos-à” Jesus.
LE, 659 - “A três coisas podemos propor-nos por meio da prece: Louvar, pedir e agradecer”.
LE, 459 - “Os espíritos inferiores influem muito em nossos atos e pensamentos”.
LE, 466 - “Mas os Espíritos bons nos influem para o bem”.
PAI NOSSO (Meimei / F.C.Xavier), cap. II, conto: “Louvado seja Deus.”
4. AULA:
a) Incentivação inicial: Exposição.
MONTAR A CASA RECORTANDO E USANDO AS SUAS DOBRADURAS:
Entregar às crianças a folha com o desenho da casa, para elas recortarem, montarem e colarem, usando as suas dobraduras, SEM COLAR O TETO (importante), perguntando:
— O que está faltando na casa? (o telhado)
— Uma casa sem teto fica desprotegida, facilitando a entrada de chuvas, sol em demasia, entrada de pessoas sem escrúpulo, pássaros, pombos, morcegos e poeira que o vento leva e espalha.
Então, vamos montar o telhado, protegendo a casa?
— Agora, sim, a casa está protegida.
EM NÓS MESMOS, a prece é a nossa proteção, o nosso telhado espiritual, protegendo-nos contra as influências de espíritos inferiores, mas, por outro lado, atraindo os bons Espíritos, que nos inspiram ao bem.
b) Desenvolvimento: Narração com interferência.
NOTA PARA O EVANGELIZADOR (A):
NARRAR a história ilustrada do escravo André, usando o método auxiliar de INTERFERÊNCIA, que consiste na interrupção da narrativa nos momentos indicados pelo narrador (a), por um gesto, a fim de
dar mais ênfase e animação ao conto.
As interrupções da história devem ser feitas quando quem conta chegar à palavra INTERFERENCIA, ponto culminante de cada um dos desenhos que ilustram o conto, dando renovado encanto à história.
NARRAR a história, seguindo o texto e os desenhos respectivos.
-----------------
Após a narração, concluir o estudo da prece avaliando a aula.
c) Fixação: Interrogatório dialogado.
Segundo os Espíritos, três coisas são importantes na oração: Louvar, Pedir e Agradecer!
— O escravo André, sempre, pedia, agradecia ou LOUVAVA DEUS?
— O velho André perdoou o seu antigo patrão?
— O André trabalhava?
— O escravo André ajudava às outras pessoas?
— A prece de André era complicada? Ou Simples?
— O velho André mereceu a visita do Espírito de Luz, vindo buscá-lo no momento de desencarnação?
d) Material didático: Folha com a casa recorte, dobradura e colagem; folha com a história do escravo André; Três folhas com cinco desenhos ilustrando o conto; Tesoura e cola branca.
LOUVADO SEJA DEUS
DESENHO N0 01
O velho André era escravo humilde e sofredor.
Certo dia, ele soube que Jesus nos ensinara a santificar o nome de Deus e prometeu a si mesmo jamais praticar o mal.
Se o feitor da fazenda o perseguia, André perdoava e dizia de todo o coração:
(Interferência) — LOUVADO SEJA DEUS.
DESENHO N0 02
Se algum companheiro tentava-o a fugir das obrigações de cada dia, considerando as injustiças que os cercavam, ele dizia contar com a Bondade Divina, indicava o céu e repetia:
(Interferência) — LOUVADO SEJA DEUS.
DESENHO N0 03
Quando veio a libertação dos cativos, o dono da fazenda chamou-o e disse-lhe que a pobreza e a doença lhe batiam à porta e pediu-lhe que não o abandonasse.
Todos os companheiros se ausentaram, embriagados de alegria, mas André teve compaixão do senhor, agora humilhado, e permaneceu no serviço imaginando que Deus estaria satisfeito com o seu procedimento.
O proprietário da terra, pouco a pouco, perdeu o que possuía, arruinado pela enfermidade, mas o generoso servidor cuidou dele, até à morte, afirmando sempre:
(Interferência) — LOUVADO SEJA DEUS.
DESENHO N0 04
André estava cansado e envelhecido, quando o antigo patrão faleceu. Quis trabalhar, mas o corpo encarquilhado curvava-se para o chão, com muitas dores.
Esmolou, então, com humildade e paciência e, de cada vez que recebia algum pão para saciar a fome ou algum trapo para cobrir o corpo, exclamava alegremente:
(Interferência) — LOUVADO SEJA DEUS.
DESENHO N0 05
Certa noite, muito sozinho, com sede e febre, notou que alguém penetrava em sua choça de palha.
Quem seria?
Em poucos instantes, um Espírito Protetor erguia-se à frente dele.
Acanhado e aflito, quis falar alguma coisa, mas não pode. O Espírito Protetor, porém, sorrindo, abraçou-o e exclamou:
— André, o nome de Nosso Pai Celestial foi exaltado por seu coração e vim buscar você para que sua voz possa louvá-lo agora no céu.
No dia seguinte, o corpo do velho escravo apareceu morto na choupana, mas sobre o teto rústico as aves pousavam, cantando, e muita gente afirmou que os passarinhos pareciam repetir:
(Interferência) — LOUVADO SEJA DEUS.
Conto do Espírito Meimei
Psicografia de Chico Xavier

Para montar a casa, dobrar o papel nas linhas pontilhadas.
Colar as abas.
Colorir a casa antes de recortar.
image
image
image
image
image
image
Aula 4:

PRECEObjetivo: Levar as crianças a entenderem que:

  • A Prece é a única forma de comunicação com Deus;
  • Os benefícios que a prece nos proporciona;
  • É através da prece que nos ligamos ao mundo espiritual, e que a espiritualidade maior vem em nosso auxílio toda vez que nossa prece é proferida com fé e respeito.
Atividades iniciais:
Música para harmonizar;
Prece inicial;
Primeiro momento: Escrever no quadro a palavra PRECE com as letras fora de ordem e peço as crianças que advinhem qual é a palavra:

RCEPE

Segundo momento:

Contar história: Jorginho e seus três pedidos (www.techs.com.br/meimei)

Terceiro momento: Diálogo:

    • A prece ou a oração é uma conversa com Deus nosso Criador e com Jesus, Maria e nossos amigos espirituais.
    • A prece nos liga com Deus, Jesus e com o mundo espiritual.
    • É através da prece que a espiritualidade maior vem em nosso auxílio toda vez que nossa prece é proferida com fé e respeito.
    • A oração, acima de tudo, é sentimento, devendo ser feita sem fingimento ou ostentação. Deus gosta da prece que brota do fundo de nosso coração, que nasce com fé, fervor e sinceridade.
    • Podemos fazer nossas preces em qualquer hora ou lugar, porque o poder da prece está no pensamento, não se prendendo a palavras.
    • Com a prece, podemos louvar, pedir ou agradecer.
    • Podemos fazer uma prece quando estamos tristes, nervosos, assustados ou com medo e também quando estamos felizes.
    • Podemos e devemos orar por outras pessoas, inclusive por nossos inimigos e pessoas desencarnadas.
    • Quando oramos devemos pedir a Deus o alimento, a saúde, o trabalho, a alegria para nosso lar, a oportunidade de brincar e estudar... Mas não para pedir dinheiro ou bens materiais, pois Nosso Pai já nos dá tudo que precisamos para evoluirmos na terra.
    • Quando desejamos muito uma coisa podemos fazer uma prece e pedir a Deus, mas precisamos também fazer nossa parte e confiar em sua sabedoria.
    • O hábito de fazer prece foi-nos ensinado por Jesus, conforme está no Evangelho.
Desenvolver o tema usando exemplos como:
1 -
O telefone: o telefone serve de instrumento para conversarmos com as pessoas quando estamos distantes delas. E quando queremos falar com Deus, como fazemos? (esperar que as crianças digam que é através da prece).
A Prece serve como um telefone para a gente poder falar com Deus.


2 - Bolinhas de sabão: Explicar que a prece não precisa ser decorada, mas sim de coração, pois, feita com amor, ela sobe, sobe até Deus... como a bolinha de sabão. Vamos imaginar que tudo o que queremos falar com Deus nós colocamos dentro da bolinha, quando sopramos. Ela vai subindo... (ir passando um por um, para cada um fazer suas bolinhas). Mostrar que nenhuma
é igual a outra, por que as pessoas e seus desejos, agradecimentos, etc., são diferentes.
Quarto momento:

Jogo didático: BATATA QUENTE
Dispor os evangelizando em círculos e em pé. Um deles segura na mão uma bola de papel ou plástico.
A um sinal do evangelizador, a bola deverá ir sendo passada de um para outro, não se respeitando ordem seqüencial.
Enquanto a bola estiver passando de mão em mão, deverá haver uma música que tão logo cesse de tocar (o evangelizador desligará a música repentinamente), o evangelizando que estiver com a “batata quente” responderá a uma pergunta formulada pelo evangelizador.
A brincadeira prossegue até que a maioria dos evangelizandos tenha respondido uma questão ou ao se esgotarem as perguntas.

QUESTIONÁRIO

  1. Quando devemos fazer uma prece?
  2. Para quê serve a prece?
  3. Quando fazemos uma prece, devemos pedir só por nós?
  4. Quando desejamos muito uma coisa, é só fazer uma prece, e vamos conseguir?
  5. Como fazer uma prece?
  6. Quando devemos fazer uma prece?
  7. Quais os benefícios da prece?
  8. Precisamos decorar preces?
  9. Qual foi a oração que Jesus nos ensinou?
  10. Porque fazemos uma prece no início e no final?
  11. Com quem conversamos ao orar?
  12. Por que orar?
  13. Quem nos ensinou a orar?

+ Imagens para o tema Prece:
Prece5 prece4
prece6 



+ Histórias sobre Prece AQUI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário